transparente
logo Associação    |    Mico-leão-dourado    |    Nossas Ações    |    Divulgação    |    Contato
  AS QUATRO ESPÉCIES
As espécies de Mico-Leão
  • Leontopithecus rosalia / mico-leão-dourado
  • Leontopithecus chrysomelas / mico-leão-da-cara-dourada
  • Leontopithecus chrysopygus / mico-leão-preto
  • Leontopithecus caissara / mico-leão-da-cara-preta
Ecologia dos Micos-leões
As quatro espécies de mico-leão (Leontopithecus) são encontradas exclusivamente na Mata Atlântica brasileira. Lá, as espécies de mico-leão vivem separadas umas das outras, cada uma em um pequeno território.

Distribuição
As quatro espécies de mico-leão estão distribuídas da seguinte maneira, de norte a sul:
  • Mico-leão-de-cara-dourada: Bahia
  • Mico-leão-dourado: Rio de Janeiro
  • Mico-leão-preto: São Paulo
  • Mico-leão-de-cara-preta: Paraná e pequena área adjacente do sudeste de São Paulo
Cada espécie é encontrada apenas em uma pequena parte do estado indicado como seu território. Isso ocorre porque grande parte da Mata Atlântica, habitat dos micos-leões, foi destruída.

Os poucos micos-leões sobreviventes vivem em fragmentos remanescentes da Mata Atlântica e, às vezes, em plantações adjacentes que têm bromélias e espécies de árvores que os micos-leões podem utilizar (Faria et al. 2007; Oliveira et al. 2010, 2011).

Hábitos Gerais
São ativos durante o dia e dormem durante a noite. Vivem em grupos de dois a 11 indivíduos, sendo que um grupo tem, em média, de quatro a sete indivíduos (Baker et al. 2002). Normalmente, cada grupo defende um território diferente (Peres 1989b).

Vivem em florestas e passam a maior parte do tempo em árvores. Assim como os saguis, têm unhas em forma de garras que lhes permitem agarrar-se a troncos e galhos de árvores. Os micos-leões andam, correm e saltam como esquilos, usando as quatro patas.

Alimentam-se principalmente de frutos, insetos, pequenos vertebrados e ovos de aves (Lapenta et al. 2003). Em menor grau, alimentam-se também de néctar, flores, gomas e exsudatos de plantas, além de cipós. (Peres 1989a; Miller & Dietz 2005).

Têm especializações que lhes permitem caçar presas escondidas. Seus dedos e mãos alongados penetram em aberturas de troncos de árvores, bromélias e folhagem densa, de onde retiram presas escondidas (Miller & Dietz 2005).

Os filhotes de micos-leões (normalmente gêmeos) nascem de setembro a março, "um pouco antes do pico da disponibilidade de frutas e insetos ou durante esse período". (Di Bitetti & Janson 2000).

Frugivoria
Os micos-leões se alimentam de uma grande variedade de frutos silvestres. Um estudo feito na Reserva Biológica de Una, por exemplo, mostrou que os micos-leões-de-cara-dourada alimentaram-se de frutos de 79 espécies de 32 famílias de plantas diferentes (Raboy & Dietz 2004). Outro estudo realizado em Una mostrou resultados semelhantes: os frutos de 93 espécies de árvores foram usados como alimento (Oliveira et al. 2010).

Embora muitos tipos de frutos façam parte da dieta, alguns são consumidos com mais frequência. Em um estudo em que micos-leões-de-cara-dourada alimentaram-se de frutos de 71 espécies diferentes, sete espécies compunham mais da metade da dieta (57,1%) e 32 espécies (45%) foram consumidas uma só vez. (Cardoso et al. 2011).

Da mesma forma, os micos-leões pretos da Fazenda Rio Claro passaram 37% do tempo de alimentação comendo frutos de uma de três espécies: gerivá ou coqueiro tupi (Syagus romanzoffiana) (Mamede-Costa & Godoi 1998). Uma parte tão grande do tempo total de alimentação era dedicada a essa árvore porque se trata de uma espécie que dá frutos o ano todo, com pico na estação seca, quando os frutos das outras árvores frutíferas são escassos. Assim, o fruto dessa palmeira parece ser um recurso essencial para os micos-leões-pretos e pode ser um fator importante na sua sobrevivência nos "poucos e pequenos fragmentos onde existem hoje" (Mamede-Costa & Godoi 1998).

Embora frutos comerciais raramente façam parte da dieta, ocasionalmente veem-se grupos de micos-leões-dourados comendo bananas em plantações adjacentes às florestas onde vivem (Coimbra-Filho 1969).

Dispersão de sementes
Os micos-leões desempenham um papel ecológico importante, pois dispersam as sementes da maioria dos frutos que comem. Quando um mico-leão engole sementes, elas muitas vezes passam intactas por seu trato digestivo. Quando o mico-leão defeca, as sementes são depositadas em um local distante da árvore-mãe.

Ao realizar esse transporte, os micos-leões ajudam as árvores a espalhar suas sementes pela floresta tropical. Com sorte, algumas dessas sementes germinarão e, se sobreviverem, darão origem a grandes árvores (Passos 1997; Lapenta & Procópio-de-Oliveira 2009).

Cardoso et al. (2011) constataram que 80,4% das defecações dos micos-leões-de-cara-dourada continham sementes. Eles observaram micos-leões-de-cara-dourada engolindo frutos de 53 espécies e descobriram sementes de 40 (75,4%) dessas espécies nas defecações que encontraram. A maior parte das defecações (54,9%) continha sementes de uma única espécie. O número maior de espécies em uma única defecação foi três.

Em outro estudo, micos-leões-dourados alimentaram-se dos frutos de 97 espécies de árvores, engolindo as sementes de 76 espécies e cuspindo as sementes de 21 (Lapenta & Procópio-de-Oliveira 2008). As sementes das 76 espécies engolidas pelos micos-leões dourados foram encontradas nas suas fezes. Mais uma vez, a maior parte das defecações (89,6%) continha apenas uma espécie de semente, e uma única defecação nunca continha mais de três espécies.

Um estudo revelou que micos-leões-de-cara-dourada dispersaram sementes a uma distância entre 22 e 781 metros da árvore-mãe, sendo que a maioria (61%) foi dispersa ao longo de 150 metros (Cardoso et al. 2011). Outro estudo mostrou que micos-leões-dourados dispersaram sementes a uma distância entre zero e 858 metros da árvore-mãe, com distância média de 105 metros (Lapenta & Procópio-de-Oliveira 2008).

Seleção de Locais para Dormir
Os micos-leões normalmente dormem em ocos de árvores durante a noite. Às vezes, no entanto, podem dormir em bambuzais, emaranhados densos de cipós, abrigos naturais formados por bromélias, caules de palmeiras, sob folhas de palmeiras vivas ou mortas, ninhos abandonados de aves ou mamíferos e galhos ou ramos de árvores (Hankerson et al. 2007; Amaral Nascimento & Schmidlin 2011).

Um estudo feito ao longo de 14 anos mostrou as seguintes frequências de escolha de local para dormir por micos-leões-dourados: ocos de árvores = 63,6%; no solo, em bambuzais densos = 17,5%; emaranhados densos de cipós = 9,6%; bromélias = 4,7 % (Hankerson et al. 2007). Quando dormiam em árvores, a altura média era de seis ou mais metros acima do solo (Hankerson et al. 2007).

Por que os micos-leões estão ameaçados de extinção

As quatro espécies de mico-leão estão ameaçadas de extinção. A causa principal dessa ameaça é a destruição da Mata Atlântica pelos seres humanos. Os micos-leões precisam dessa floresta para sobreviver (Kierulff & Rylands 2003).

A captura ilegal de micos-leões para venda como animal de estimação é outro fator importante na queda do número de indivíduos (Kierulff & Rylands 2003).

Notícias relacionadas

A distribuição no nosso território A distribuição no nosso território

mico-leão-da-cara_dourada mico-leão-da-cara_dourada

mico-leão-da-cara-preta mico-leão-da-cara-preta

mico-leão-dourado mico-leão-dourado

mico-leão-preto mico-leão-preto

mico-leão-da-cara_dourada mico-leão-da-cara_dourada

mico-leão-da-cara-preta mico-leão-da-cara-preta

mico-leão-dourado mico-leão-dourado

mico-leão-preto mico-leão-preto

Parceiros que financiam o trabalho da AMLD
img img img img img
Associação
Histórico
Missão
Metas e Estratégias
Conselho Deliberativo
Equipe Técnica
Sócios
Prêmios e Homenagens
Amigos do Mico
Micolojinha
Na Trilha do Mico
Mico-leão-dourado
As Quatro Espécies
Ficha do Bicho
Ecologia e Comportamento
Genética
A Mata Atlântica e o Habitat
Espécies Invasoras
Divulgação
Notícias
Vídeos

Fale Conosco
Contato

55 (22) 2778-2025
55 (22) 2778-1580
Metas e Estratégias
Manejo da População
Áreas Protegidas
Agricultura Familiar
Restauração Florestal
Educação Ambiental
Infraestruturas Lineares
Planejamento Territorial
Comunicação e Marketing
Turismo Sustentável
Fortalecimento Institucional
Facebook
Youtube
Instagram
Webmail